artes gráficas
     

DESENVOLVIMENTO GRÁFICO

A revolução flexográfica no mercado de embalagem

Há algum tempo atrás, a área gráfica, sobretudo indústrias de embalagens flexíveis discutiam intensamente sobre o melhor processo de impressão. A grande questão era: “Rotogravura ou Flexografia?” Com o passar dos tempos, a questão virou a seguinte afirmação: “A qualidade em Roto é muito superior à qualidade em Flexo”. E hoje mudou novamente para: “Roto e Flexo dividem espaço na impressão sem alterar qualidade”.

Pois bem, a Rotogravura sempre teve um prestígio clássico por conta da sua impressão fina, seus pontos elípticos e por suportar grandes tiragens sem alterar a qualidade durante a produção. Seu processo eletromecânico de gravação de cilindros, por ser caro, era um alto investimento para os clientes, porém com a garantia de uma qualidade invejada. Já a Flexografia sempre foi vista como inferior à sua parceira. Os falhos sistemas convencionais de gravação de clichês e aquelas impressoras e engrenagens engolindo substratos e marcando o impresso final, causando problemas na impressão, enlouquecia impressores e operadores, tornando-a a última opção de escolha. Mas como tudo nessa vida muda, a Flexografia resolveu mudar também.

Os fabricantes de máquinas impressoras flexográficas decidiram investir em alta tecnologia, velocidade de produção e se dedicaram em eliminar os inúmeros problemas que faziam da Flexografia a segunda opção. Um exemplo disso são as impressoras de banda larga que possuem um sistema sem engrenagem (gearless) e atingem uma velocidade de produção de 400 metros por minuto. Com ajuste automático de pressão e troca automática de serviços programados, aumenta a qualidade, a precisão do registro das imagens e diminuem a variação na impressão. Outro aspecto positivo é a diminuição das paradas de máquina e rapidez nos setups das mesmas.

Com todas essas melhorias, a rapidez de uma produção em flexo impactou diretamente na entrega do produto final e começou a se tornar atraente aos olhos de muitos clientes. Mas o que dizer da qualidade dos impressos? A impressão já havia melhorado e a tecnologia já estava avançada nessa etapa do processo. Coube aos profissionais do setor de pré-impressão acompanharem todas essas mudanças significativas. E fizeram isso com sucesso.

Clicherias, prepress, agências, fabricantes de clichês em fotopolímero, fabricantes de fitas e até mesmo de tintas, vernizes e solventes, aumentaram suas tecnologias forçando-os a acompanhar a revolução flexográfica.

Com sistemas de gravação digital diversos, equipamentos para retoque de imagens calibrados, máquinas de provas digitais que simulam fielmente o produto final, uma gama de densidades de fitas acolchoadas para cada tipo de trabalho, tintas e vernizes com tempos de secagem e coberturas perfeitas, fizeram disso um marco na Flexografia.

Hoje, ela representa boa parte do mercado de embalagens no Brasil e aumenta a cada dia. Com lineaturas variando de 52 lpc a 70 lpc, muitos convertedores tem obtido sucesso em convencer seus clientes, a migrar produtos que anteriormente eram produzidos em Rotogravura para Flexografia sem perder qualidade e economizando tempo e investimento. Tudo isso pela qualidade de seus impressos que encantam aos olhos de quem vê.

E o que dizer do meio ambiente? Vivemos num período da história onde palavras tais como sustentabilidade, projetos sustentáveis e ações sociais se tornaram comuns e se propagam como nunca antes. Um processo como o da Rotogravura, onde todo o desenvolvimento gira em torno de metais (cobre, níquel e cromo), tende a ter dificuldades sob o ponto de vista sustentável. Tendo essa visão do agora, mas pensando no futuro de gerações posteriores, a Flexografia sai na frente com insumos à base de água e processos de desenvolvimentos digitais. Isso transmite a confiança necessária para o cliente final.

Moral da História: Não existe competição, pois cada processo tem o seu espaço. Mas nunca subestime a capacidade da Flexografia!

 

deboraDÉBORA HIGINO SODRÉ

É especialista em embalagem na empresa Zaraplast S/A.

 

debora.dhs@gmail.com   www.aprimeiraimpressaoo.blogspot.com.br

 

 
Artigos Técnicos

 

 

 

 

 

     
     

Novidades

Mídias Sociais

Newslatter

Participe de nossas redes sociais e receba notícias e as melhores vagas de emprego que surgem no setor de criação e produção gráfica.
Quer saber as principais notícias do mercado gráfico? Manter-se informado sobre eventos da área? Cadastre-se e receba nosso mailing.
facebook
twitter

A arte das Artes Gráficas 2013© - All rights reserved